segunda-feira, 23 de março de 2009

ESPECIAL: PEDRINHO: UM GUERREIRO CRUZMALTINO

Pedro Paulo de Oliveira, mais conhecido como Pedrinho. Um ídolo do Vasco que merece todas as honras por defender o manto cruzmaltino enquanto teve forças e chances. Uma carreira difícil, mas vitoriosa. Um sentimento de orgulho para o Vasco, clube que o revelou. Uma imagem de carisma e de ídolo para com a torcida. Ajudou na conquista de vários títulos do Vasco, com grande destaque a Taça Libertadores de 1998, onde, nas quartas-de-final, fez dois gols que também mereceriam música, contra o Grêmio. Um no Olímpico, outro em São Januário, classificando o Gigante para a semi-final.

O COMEÇO

Pedrinho chegou ao Vasco em 1983, com 6 anos, por influência de seu pai, Seu Hélio, motorista do cruzmaltino por muitos anos, que apostou em seu filho e o colocou para jogar na base do futsal do Time da Colina. A aposta deu certo, e pai de Pedrinho, vascaíno, realizara um sonho: ver o filho jogando com a cruz de malta no peito. Em 1995, Pedrinho foi promovido para os profissionais junto com o lateral-esquerdo e amigo de infância Felipe. Em 1997, se destacou na conquista do Tricampeonato Brasileiro pelo Vasco, ao lado das então promessas Ramon e Juninho Pernambucano, meio-de-campo que armava as jogadas para o arrasador ataque Evair-Edmundo.


O melhor momento de sua carreira foi em 1998, quando levou o Vasco à conquista da Libertadores, ajudando majoritáriamente na classificação às semi-finais, marcando dois gols em cima do Grêmio, um no Olímpico e outro na Colina histórica.


LESÕES

Após a conquista da América, Pedrinho foi surpreendido com a sua primeira convocação para a Seleção Brasileira, onde enfrentaria a Iugoslávia. Porém, em 6 de setembro de 1998, dois dias antes de se apresentar à Seleção, o jogador rompeu o ligamento cruzado anterior do joelho direito após uma falta violentíssima de Jean Elias, zagueiro do Cruzeiro, durante o jogo contra o time de Minas, em São Januário. Aí começava o ciclo de lesões de Pedrinho.

Passados sete meses de recuperação, o jogador voltou num amistoso pelo Vasco B, contra o Duque de Caxias, em São Januário, onde marcou 2 gols e saiu ovacionado pela pequena mas aguerrida torcida que compareceu para prestigiar o jogador em sua volta aos gramados. Contudo, dois dias depois, em outro amistoso, contra o Volta Redonda, Pedrinho sentiu a lesão e se viu obrigado a parar novamente. O atleta só retornaria 11 meses depois, em fevereiro de 2000, na primeira partida da decisão do Torneio Rio-São Paulo daquele ano.


CARREIRA

1995 - Promovido aos profissionais do Vasco, Pedrinho era considerado promessa em São Januário. Realizava o sonho do seu pai ao vestir o manto cruzmaltino como jogador de futebol profissional.


1995 - 2001 - Neste tempo, Pedrinho atuou pelo Vasco, confirmando o esperado por todos, era um jogador diferenciado. Marcou sua passagem pelo clube que começou a jogar com títulos importantíssimos na história do Vasco e que, com certeza, deixarão seu nome eternizado nas dependências do Gigante da Colina.


2002 - 2005 - Pedrinho se transferiu para o Palmeiras após ter divergido de opinião com a diretoria do Vasco. O jogador participou do rebaixamento e da volta do Palmeiras à elite do futebol brasileiro. Classificou o alviverde para a Libertadores em 2004, com uma campanha excelente e jogando a maioria dos jogos.


2005 - Após nova lesão, Pedrinho foi negociado com o Al Ittihad. Seu contrato com o Palmeiras duraria até o fim de 2005, mas, devido às lesões, o atleta foi vendido.

2006 - Pedindo para voltar ao Brasil, Pedrinho recebeu proposta do Fluminense e acertou com o time das Laranjeiras por 1 ano, já com o contrato de risco fazendo parte do seu cotidiano. O jogador estava marcado pelas graves lesões, mas a técnica que lhe era peculiar o fazia conquistar novos rumos no futebol brasileiro.


2007 - A pedido de Wanderley Luxemburgo, a diretoria do Santos foi atrás de Pedrinho. Luxa recuperou o atleta e, através do seu médico, descobriu um dos problemas das lesões de Pedrinho. Ali, o jogador teve chance de se recuperar como deveria e ajudou o Santos na campanha da Libertadores, onde chegou perto de conquistar o Bicampeonato pelo time da Vila Belmiro.


2008 - No Al Ain, dos Emirádos Árabes Unidos, Pedrinho não se firmou por vários fatores. A perda de seu pai, que deixava o mundo sem realizar seu sonho de ver o filho vestindo novamente a camisa do clube de coração, e o nascimento do filho, além de problemas técnicos e climáticos.

2008 - Pedrinho começou a ser especulado no Vasco após a mudança da diretoria. Acertou o contrato de produtividade no meio da temporada a não pôde ajudar como queria. Viu o time ser rebaixado e mostrou, aos prantos, que é sim um dos ídolos do Vasco, sofrendo com o rebaixamento.


2009 - Pedrinho acertou a sua ida para o Figueirense, onde hoje se recupera de (mais uma) lesão e tenta voltar a jogar como nos velhos tempos. O atleta disputará ainda a Copa do Brasil e a Série B do Brasileirão pelo time de Santa Catarina.


PRINCIPAIS JOGOS PELO VASCO

Flamengo 0x1 Vasco - Campeonato Brasileiro de 1997

Na sexta rodada da competição, enfrentado o maior rival, a equipe do Vasco que conquistaria o título venceu no Maracanã pelo placar mínimo: após cobrança de escanteio pela esquerda, a defesa rubor-negra rebate e o meia, de fora da área, acerta voleio de primeira, com a perna esquerda.

Grêmio 1x1 Vasco - Quartas-de-final Libertadores (jogo de ida)

Caminhando para a conquista da América, o Vasco foi ao Olímpico após ter sido derrotado lá por 1 a 0 na fase de grupos. No entanto, na fase decisiva, a equipe cruzmaltina jogou melhor e saiu na frente, com gol de Pedrinho, mas acabou cedendo o empate. A classificação foi confirmada em São Januário.

Vasco 5x1 Flamengo - Taça Guanabara 2001 (final)

Em um domingo de Páscoa, o Vasco derrotou o maior rival com uma atuação de gala e levou o primeiro turno do Estadual. Com o placar consolidado, o meia Pedrinho, que marcara um dos gols, fez algumas embaixadas no meio-de-campo. A jogada iniciou uma confusão no clássico.

CURIOSIDADES

No Vasco

Atuando pelo Vasco, Pedrinho entrou em campo 209 vezes, obtendo 115 vitórias, 28 empates e 55 derrotas. O meia, que não costumava ser artilheiro, até teve uma boa média de gols, marcando, ao todo, 47 com a camisa cruzmaltina.


Na Seleção

Apesar do incidente ocasionado pela sua lesão em 1998, quando foi cortado da convocação da Seleção Braisleira, Pedrinho ainda teve uma chance com a amarelinha. Foi num jogo contra o Haiti, em 2003, que o atleta realizou o sonho de todo jogador brasileiro.

Camisa de número 98

Ao voltar ao Vasco, em 2008, Pedrinho recebeu das mãos do presidente e ídolo Roberto Dinamite, a camisa de número 98, em homenagem aos dez anos da conquista da Libertadores. Com a camisa, o meia atuou apenas 170 minutos.


Torcida

Pedrino sempre teve um bom relacionamento com a torcida do Vasco. Além das manifestações dos vascaínos quando Pedrinho, atuando por outro clube, jogava em São Januário, uma campanha denominada "Fica, Pedrinho", no fim de 2008 defendia a permanência do ídolo cruzmaltino em São Januário para o ano da reconstrução. A presse não foi atendida pela diretoria que, segundo Pedrinho, enviou proposta 'incabível'.


Libertadores

Pedrinho usou a camisa de número 16 na Libertadores em 1998.


FICHA TÉCNICA

Nome: Pedro Paulo de Oliveira
Posição: Meia
Nascimento: 29/06/1977
Local: Rio de Janeiro - RJ
Altura: 1,68m
Peso: 62kg
Chuteira: 37

Clubes

1995 a 2001 - Vasco
2001 a 2005 - Palmeiras
2005 - Al Ittihad - SAU
2006 - Fluminense
2007 - Santos
2008 - Al Ain - EAU
2008 - Vasco
2009 - Figueirense

Títulos

1997 - Campeão Brasileiro - Vasco
1998 - Campeão Carioca - Vasco
1998 - Campeão Taça Libertadores da América - Vasco
2000 - Copa Mercosul - Vasco
2000 - Campeão Brasileiro - Vasco
2003 - Campeão Brasileiro 2ª Divisão - Palmeiras
2007 - Campeão Paulista - Santos

Essa é a homenagem do Sou mais Vasco da Gama! para o eterno ídolo do Vasco, Pedrinho. Pelo seu amor ao Vasco, pelo sofrimento demonstrado no rebaixamento e por gols e vitórias épicas com o manto sagrado cruzmaltino, tal modesta homenagem se torna justa.


"Estou muito feliz de rever as pessoas que conheci aqui em 1983, quando cheguei. Nunca escondi o meu carinho e o meu amor pelo Vasco. Em todos os clubes que eu passei, eu honrei o que foi combinado. O desejo de voltar é por eu ser vascaíno e por querer estar aqui."

"Sempre procurei respeitar as camisas dos clubes que defendi, mas todo mundo sempre soube que eu sou vascaíno."

"Se não fosse o Vasco, não teria a infância que eu tive. Sou grato demais por tudo."

23/09/2008 - Vasco prestes a ser rebaixado

"Mas no momento eu trocaria qualquer tipo de situação... Até se eu tivesse que ficar machucado para o Vasco sair dessa situação, era o que eu queria. Não quero é ver o Vasco nessa situação. A minha dedicação sempre foi total, desde que comecei como atleta. Não é agora, com 31 anos, que vai ser diferente. Vou me dedicar ao máximo, principalmente porque é o clube do meu coração, que não posso ver nessa situação. O meu empenho vai ser sempre no limite."

O SENTIMENTO NÃO PODE PARAR!

Saudações Vascaínas!

8 comentários:

  1. Pedrinho! Você é alma e história no Vascão!

    ResponderExcluir
  2. Pedrinho,
    Seu choro e sofrimento demonstra seu amor, fidelidade e respeito ao Gigante da Colina!
    Você pode se considerar no nível de Roberto Dinamite e Edmundo para a torcida vascaína.

    ResponderExcluir
  3. um meia como Pedrinho,jámais existirá,além do bom futebol,é um homem humilde,e ele tem muito mais a cara do palmeiras do que do vasco

    ResponderExcluir
  4. Alexandre Santana - Maricá RJ9 de outubro de 2010 18:54

    Pedrinho; sem comentários para expressar meu carinho e admiração como vascaíno à você cara! Seu carater impar como jogador e coração vascaíno não será visto tão cedo em São Januário...
    Parabéns por todas as conquistas como atleta, e o nosso MUITO OBRIGADO como torcedores do vascão!!!
    Deus o abençoe.. Saúde e felicidades
    Alexandre Santana - Maricá RJ
    09/10/2010

    ResponderExcluir
  5. pedrinho vc não precisa mostrar nada a ninguem nós vascaino sabemos que vc sempre se dedicou ao maximo e que vc e vascaino de verdade em nome de todos os vascainos o nosso muito obrigado craque igual a vc e escolhido a dedo por deus que ele te abençoe nessa nova caminhada boa sorte.

    ResponderExcluir
  6. pedrinho eu conheco um seu pai biologico .. morra no maracanau ce. que te conhecer




    meu mail e valdenia27@hotmail.com

    ResponderExcluir
  7. pedrinho foi um otimo jogador,pena que machucou varias vezes que pena.

    ResponderExcluir
  8. renati fortaleza
    pedrinho cara o vasco sente saudades da sua canhotinha um abraço.

    ResponderExcluir