quinta-feira, 30 de abril de 2009

Vasco esfacelado para enfrentar o Icasa-CE nesta quinta-feira, em São Januário

O Vasco conta com cinco desfalques para enfrentar o Icasa-CE na noite desta quinta-feira, em São Januário, pelas oitavas-de-final da Copa do Brasil. Fernando, com um estiramento na coxa, Nilton, com uma lesão no ombro, Jéferson, com uma torção no tornozelo, Carlos Alberto, com estiramento e Leonardo, com dores musculares, não poderão enfrentar o time cearense.

A situação de alguns é mais razoável. Carlos Alberto e Leonardo deverão participar do jogo de volta na próxima quarta-feira. Já Nilton, Fernando e Jéferson devem jogar apenas no início da Série B, no dia 9 de maio, contra o Brasiliense, no Caldeirão.

Com todas as dificuldades, Dorival Júnior escalou uma equipe muito diferente daquela que vinha jogando no Estadual. O time que enfrentará o Icasa-CE na noite desta quinta-feira é: Tiago; Paulo Sérgio, Vílson, Titi e Ramon; Amaral, Mateus, Enrico e Alex Teixeira; Pimpão e Élton.

O Vasco precisa abrir uma boa vantagem de gols e principalmente não sofrer nenhum para não complicar a sua classificação. Um gol fora de casa vale como dois em critérios de desempate e o sonho dos cearenses é poder anotar ao menos um tento na casa do Cruzmaltino. Olho aberto!

JOGADORES NÃO UTILIZADOS PODEM PINTAR NO BANCO

Dorival Júnior usará seu banco de reservas para começar jogando contra o Icasa-CE. Vílson, Mateus, Enrico, Leonardo e Alex Teixeira, que sempre ficam no banco de reservas, estarão jogando e com isso vários outros jogadores pintarão como opção do treinador. Entre eles deveremos prestigiar: Fernando Prass, Gian, Fagner, Paulinho, Benítez, Edgar (Faioli) e Alan Kardec.

CAMINHO PARA AS FINAIS

Se passar pelo Icasa-CE, o Vasco deverá enfrentar o Vitória que venceu na noite desta quarta-feira o Atlético-MG de Diego Tardelli por 3 a 0 e praticamente se classificou. Na chave do Vasco ainda estão Corinthians e Atlético-PR que também fizeram o primeiro jogo ontem (29/04) com uma vitória do Furacão por 3 a 2. A chance dos dois times é grande de chegar nas quartas-de-final. Goiás e Fluminense fazem nesta quinta-feira o primeiro jogo do último confronto da chave do Gigante.

No outro lado temos fortes equipes como Internacional, Coritiba e Flamengo. A vaga na final deve ficar entre estes três sendo que seus adversários são times com menos expressão: Náutico, Fortaleza, CSA, Americano e Ponte Preta.

O caminho ainda é longo e promete ser árduo para o Vasco na Copa do Brasil. O time precisa pegar o espírito copeiro dos times do sul, aliar à vontade demonstrada no Estadual e à técnica de alguns jogadores imprescindíveis para o conjunto Cruzmaltino. Jogadores esses que desfalcarão o time nesta quinta-feira. É aí que mora o perigo, é aí que está o medo.

O SENTIMENTO NÃO PODE PARAR!

Saudações Vascaínas!

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Vasco fará estreia na Série B em São Januário. Nada mais justo.

Seria algo muito controverso realizar a estreia da Série B no Maracanã. São Januário é nossa casa, é de nossa torcida, é o nosso legítimo caldeirão. Ir para o Maraca representaria um descaso com relação ao apelido conquistado ao longo dos anos, uma falta de respeito aos vascaínos que têm a honra de irem à sua casa verem o seu time.

Seria de muito bom agrado ao Urubu e ao Fluminense se tivessem opções. Com certeza escolheriam um alçapão, a pressão maior, e diriam que a torcida deles é o 12° jogador. Em São Januário os jogadores do Brasiliense se sentirão apertados, pressionados, inibidos. No Maracanã a liberdade é maior, o campo é maior, a torcida fica longe e o jogo flui melhor, para eles.

São Januário é nossa casa e é lá que temos que "morar". Onde já se viu um desabrigado da enchente em Santa Catarina comprar uma casa ótima, em boas condições, poder morar nela e escolher ficar no abrigo da prefeitura? Eis a questão.

MATEUS DEVE SER TITULAR E PAULINHO VIRA OPÇÃO

Com a grande quantidade de volantes no elenco, alguns jogadores que têm potencial vinham ficando de fora das convocações. É o caso de Paulinho e Benítez que, com a lesão de Nilton, devem ganhar uma chance pelo menos no banco de reservas.

Amaral e Mateus devem formar nossa retaguarda para a partida da próxima quinta-feira contra o Icasa-CE. Que não vacilem porque Paulinho e Benítez não veem a hora de terem suas chances. A disputa é boa, sadia e só ajuda o Vasco que precisará contar com um grande elenco na Série B.

O SENTIMENTO NÃO PODE PARAR!

Saudações Vascaínas!

sábado, 25 de abril de 2009

Vasco fará primeiro jogo em casa contra o Icasa-CE, pela Copa do Brasil

O sorteio da CBF na tarde desta sexta-feira apontou que o primeiro jogo da decisão da vaga nas quartas de final da Copa do Brasil será em São Januário. O Vasco enfrentará o Icasa-CE na próxima quinta-feira, em São Januário, às 19h30. O segundo e decisivo jogo será no Ceará, na outra quarta-feira no mesmo horário.

A única vantagem de jogar o primeiro jogo em casa é que, se fizer um bom resultado, pode ir para o Ceará sabendo que depende apenas de se fechar na zaga para garantir a classificação. Porém, isso é pensamento de times pequenos da Copa do Brasil que, quando constroem um bom resultado, se retrancam até não dar mais. Não é o ideal para o Vasco.

As desvantagens são maiores. O Icasa-CE joga o segundo jogo com a pressão da torcida, com todos os outros fatores à seu favor. E time pequeno costuma complicar nessas horas. Não é o que esperamos.

O Icasa-CE foi rebaixado no Campeonato Estadual do Ceará depois de três vice-campeonatos seguidos (2006, 2007 e 2008). Depois da vergonha no Cearense, o presidente do clube decidiu agir rápido e mandou o técnico embora, trouxe seis novos jogadores e deu uma repaginada na equipe do Icasa-CE que bateu a forte Portuguesa na primeira fase. Olho aberto!

LUCIO FLAVIO, QUE INTERESSA AO VASCO, JOGOU PELO SANTOS

O meia Lucio Flavio, que interessa ao Vasco para a disputa da Série B e que não vinha sendo aproveitado no Santos, jogou a última partida da equipe santista pela Copa do Brasil. O atleta começou jogando contra o CSA-AL, mostrando, talvez, que o técnico Vágner Mancini conta com o atleta para a temporada de 2009.

Além disso, o salário do jogador foi divulgado pelo presidente do Bahia, que disse não poder pagar tanto para um só jogador: R$ 180,000. Querendo ou não, a exposição do tão alto salário afasta o jogador de uma possível negociação.

MAGNO ASSINA ATÉ O FINAL DO ANO

O também meio-campista Magno acertou com o Vasco até o final do ano. O Gigante tem a prioridade de compra do passe ou de renovação ao final do contrato do atleta. Também agenciado por Carlos Leite, Magno chega para compor o elenco na posição que depende, e muito, de Carlos Alberto.


O jogador já treinou com a equipe nesta sexta-feira e deve estar a disposição apenas para a Série B.

O SENTIMENTO NÃO PODE PARAR!

Saudações Vascaínas!

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Como em 2008, Vasco pode chegar longe na Copa do Brasil sem muitos problemas

No ano de 2008 o Vasco chegou às semifinais da Copa do Brasil sem muitos problemas. Após passar por Itabaiana, onde venceu fora de casa por 1 a 0 e depois em São Januário por 3 a 2, Bragantino, quando também não evitou o jogo de volta empatando na casa do adversário, 2 a 2, e depois vencendo no Rio de Janeiro por 2 a 1, o time chegou às oitavas de final sem maiores complicações, como em 2009.

Em 2008, nas oitavas de final, o Vasco enfrentou um time de Série B, o Criciúma, já mais bem armado do que Itabaiana e Bragantino (recém chegado à Série B em 2008). Já em 2009, a situação é diferente. O Vasco enfrentará o Icasa-CE que não joga o Campeonato Brasileiro.

Nas quartas de final, em 2008, o Vasco encarou o Corinthians-AL e também não teve muitos problemas para chegar na semifinal, onde foi eliminado. O caminho do Gigante em 2009 é comparável ao de 2008, porém, um time grande pode pintar logo nas quartas. É preciso testar a capacidade desse time.

Caso o Vasco passe pelo Icasa-CE e o Atlético-MG confirme a boa fase batendo o Vitória, teremos um Vasco x Atlético-MG logo nas quartas de final. Aí a coisa aperta, como apertou contra o Sport em 2008, primeiro grande clube que enfrentamos na competição. O que esperamos agora é que o Vasco passe por cima disso tudo em busca do título inédito.

Se bater Atlético-MG ou Vitória, na semifinal tudo pode ficar um pouco mais complicado. Poderia enfrentar um Corinthians, Goiás, Fluminense e Atlético-PR que poderiam incomodar mais do que outros pequenos que pudessem chegar à semi.

O caminho não é tão árduo como o dos outros clubes. Flu pega o Goiás, Galo enfrenta o Vitória, Corinthians mede forças com o Atlético-PR e o Vasco enfrenta o humilde Icasa-CE.

Como em 2008, Vasco pode chegar longe na Copa do Brasil sem muitos problemas.

É esperar para ver.

O SENTIMENTO NÃO PODE PARAR!

Saudações Vascaínas!

quinta-feira, 23 de abril de 2009

ESPECIAL: CARLOS GERMANO: O ARQUEIRO DA AMÉRICA

Vindo do interior do Espírito Santo, Carlos Germano Schwambach Neto, conhecido pela massa cruzmaltina apenas como Carlos Germano, começou a carreira no Vasco em 1985, na base do Gigante da Colina. Em 1990 foi promovido aos profissionais onde defendeu a meta cruzmaltina pelos próximos 10 anos. Um ídolo cruzmaltino que merece ser reverenciado de pé.

O COMEÇO


Como já citado, Carlos Germano começou a carreira na base do Vasco em 1985, com 15 anos. O goleiro já se destacou ainda no juvenil, quando serviu a seleção brasileira pela primeira vez. Em 1988, conquistou o Sul-Americano Sub-20, na Argentina. Em 1990, Carlos Germano foi promovido aos profissionais com Vasco com pompa de titular. Logo ali começou a mostrar serviço e não saiu mais.


CARREIRA

1985 - 1989 - Neste período Carlos Germano defendeu o gol do Vasco na base do clube, já com fama de bom goleiro.

1990 - 2000 - Em 1990, Germano foi promovido aos profissionais do Vasco e surpreendeu. Marcou seu nome na história do clube conquistando os seus únicos títulos por clube na carreira no clube de São Januário. Nesta passagem o goleiro conquistou, entre outros títulos, um dos principais da história do clube: a Taça Libertadores da América em 1998. Além disso, foi uma das principais figuras do Gigante na conquista do Brasileirão em 1997 quando garantiu o título fechando o gol nos dois 0 a 0 contra o Palmeiras que definiram o tricampeonato brasileiro para o Vasco.


Em 1997, Carlos Germano teve um impasse na sua renovação de contrato com o Vasco e ficou por alguns dias disponível no mercado. O então presidente do Urubu depositou um valor adiantado para que o arqueiro vestisse a camisa rubro-negra. Poucos dias depois do depósito, Carlos Germano negou o Urubu e assinou com o Vasco por mais três anos.

2001 - Em 2001, sem ter seu contrato renovado com o Vasco e saindo pela porta dos fundos ao colocar o Cruzmaltino na justiça, Carlos Germano acertou com o Santos Futebol Clube por onde atuou apenas um ano.


2002 - Em 2002, uma passagem rápida pelo Internacional

2003 - O goleiro aceitou uma proposta e foi jogar no norte. Carlos Germano atuou pelo Paysandu na temporada de 2003.

2004 - No ano de 2004, Carlos Germano disputou o Campeonato Carioca pelo simpático América. Logo depois, voltou para o Vasco de onde sairia seis meses depois.


2005 - 2006 - Em 2005 Carlos Germano se aventurou. Depois de acertar com o Madureira, o jogador foi atuar pela primeira e única vez fora do país. Foi para o Penafiel, de Portugal, onde assinou um contrato de dois anos. Apenas o primeiro foi cumprido e a rescisão feita amigavelmente.

2008 - O arqueiro cruzmaltino voltou a São Januário como treinador de goleiros, cargo já ocupado meses antes no Joinville-SC e onde permanece até hoje preparando os goleiros do Vasco.


PRINCIPAIS JOGOS PELO VASCO

Jogo de estreia

Vasco Da Gama 2 x 1 Bangu - 24/11/1990
Local: Estádio Caio Martins

Gols : Sorato (VAS), William (VAS) e Mendonça (BAN)

Vasco
Carlos Germano, Dedé (França), Tosin, Jorge Luís, Cássio, Zé Do Carmo, Luciano, William, Boiadeiro, Sérgio Araújo e Sorato Técnico : Zagallo

Bangu
Wagner, Murilo, Carlito, Marcão, Wágner Pepeta, Denílson, Arthurzinho, Mendonça, Gílson, Serginho (Jackson) e Maciel (Marcelo Henrique) Técnico : Rogério Melo

Jogo de despedida

Vasco Da Gama 4 x 1 Raja Casablanca-MAR - 29/12/1999
Local: Maracanã

Gols : Gilberto (VAS), Romário (VAS), Aboub (RAJA), Odvan (VAS) e Romário (VAS)

Vasco
Carlos Germano, Jorginho, Júnior Baiano, Mauro Galvão (Odvan), Gilberto, Amaral, Felipe, Juninho (Paulo Miranda), Ramón (Alex Oliveira), Donizete (Viola) e Romário Técnico: Antônio Lopes

Raja Casablanca
Chadili, El Karkouri, El Haimeur, Misbah (Nater), Safri, Jrindou, Moustaoudia, Aboub, Khoubbache (Achami), Mejjary, Ereyahi (El Moubarki) Técnico: Luís Fullones.

CURIOSIDADES

URUBU? NEM PENSAR!

Em 1997, Carlos Germano esnobou o Urubu dizendo que não aceitaria a proposta do rubro-negro, voltando atrás na decisão de renovação com o Vasco e assinando por mais três anos. Na ocasião, Germano decretou: 'Vestir rubro-negro? Nem pensar'


NÚMEROS

Confira número de Carlos Germano no gol do Vasco

1990 - 6 jogos e 5 gols sofridos
1991 - 34 jogos e 26 gols sofridos
1992 - 43 jogos e 54 gols sofridos
1993 - 47 jogos e 57 gols sofridos
1994 - 58 jogos e 56 gols sofridos
1995 - 62 jogos e 64 gols sofridos
1996 - 56 jogos e 69 gols sofridos
1997 - 38 jogos e 34 gols sofridos
1998 - 43 jogos e 37 gols sofridos
1999 - 62 jogos e 74 gols sofridos

Total - 449 jogos e 476 gols sofridos


BANDEIRÃO

Carlos Germano foi homenageado pela torcida cruzmaltina com um bandeirão estampando sua foto com a frase: 'O Vasco merece muito mais do que podemos oferecer'


SELEÇÃO BRASILEIRA

Carlos Germano serviu a Seleção Brasileira apenas enquanto esteve no Vasco. Foi campeão da Copa América em 1997 e reserva de Taffarel na Copa do Mundo de 1998, onde foi vice-campeão mundial. Neste mesmo ano (1998), conquistou a América pelo Vasco.


FICHA TÉCNICA

Nome: Carlos Germano Schwambach
Nascimento: 14/08/1970
Local: Domingos Martins-ES
Posição: Goleiro
Altura: 1,92m
Peso: 83kg

Clubes

1990-1999: Vasco
2000-2001: Santos
2001-2002: Portuguesa-SP
2002-2003: Botafogo
2003: Paysandu
2004: América-RJ

Títulos

1988 - Campeonato Sul-Americano Sub-20 - Seleção Brasileira
1992-93-94 - Tricampeonato Carioca - Vasco
1992 - Torneio Pré-Olímpico - Seleção Brasileira
1997 - Campeonato Brasileiro - Vasco
1997 - Copa América - Seleção Brasileira
1998 - Copa Libertadores da América - Vasco
1999 - Torneio Rio-São Paulo - Vasco

Título pessoal

1994 - Prêmio Charles Miller - Melhor goleiro
1997 - Bola de Prata Brasileira - Revista Placar

Esta é a homenagem do Sou mais Vasco da Gama! ao grande arqueiro cruzmaltino Carlos Germano. Sem dúvida um dos maiores ídolos da história do centenário clube. Em nome da nação vascaína, muito obrigado Carlos Germano por defender e honrar a cruz-de-malta que estampamos em nosso peito.

O torcedor tem que apoiar sempre. Até mesmo numa situação em que o Vasco não esteja bem. Acho que o apoio é fundamental para o clube. Através do apoio do torcedor que o time consegue dar a volta por cima, reverter um quadro praticamente impossível. O torcedor sabe que é a alma do clube. E o clube na vai morrer nunca, o torcedor passa, mas tem o filho que vai acompanhar o pai, neto que acompanha o avô. O Vasco é forte por causa disso.

Onde quer que eu vá as pessoas me conhecem como o Carlos Germano do Vasco. Afinal foram quinze anos nesse clube, mais de quinhentos jogos. Eu não me vejo em outro lugar que não aqui dentro.

Em São Januário, pude ver o crescimento da minha casa com muito orgulho. Assisti o time se tornar um dos mais fortes do mundo. Quando vou a São Januário, não tenho vontade de sair. Tenho a certeza que um dia voltarei a trabalhar lá, de onde só vou sair quando não agüentar mais. (Citação de 26/04/2007, quando ainda não trabalhava no Vasco)


"Tenho certeza que o Vasco vai sacudir a poeira e voltar para a Série A em 2010"

Carlos Germano Schwambach Neto

O SENTIMENTO NÃO PODE PARAR!

Saudações Vascaínas!

quarta-feira, 22 de abril de 2009

ESPECIAL: CARLOS GERMANO: O ARQUEIRO DA AMÉRICA

Vindo do interior do Espírito Santo, Carlos Germano Schwambach Neto, conhecido pela massa cruzmaltina apenas como Carlos Germano, começou a carreira no Vasco em 1985, na base do Gigante da Colina. Em 1990 foi promovido aos profissionais onde defendeu a meta cruzmaltina pelos próximos 10 anos. Um ídolo cruzmaltino que merece ser reverenciado de pé.

O COMEÇO


Como já citado, Carlos Germano começou a carreira na base do Vasco em 1985, com 15 anos. O goleiro já se destacou ainda no juvenil, quando serviu a seleção brasileira pela primeira vez. Em 1988, conquistou o Sul-Americano Sub-20, na Argentina. Em 1990, Carlos Germano foi promovido aos profissionais com Vasco com pompa de titular. Logo ali começou a mostrar serviço e não saiu mais.


CARREIRA

1985 - 1989 - Neste período Carlos Germano defendeu o gol do Vasco na base do clube, já com fama de bom goleiro.

1990 - 2000 - Em 1990, Germano foi promovido aos profissionais do Vasco e surpreendeu. Marcou seu nome na história do clube conquistando os seus únicos títulos por clube na carreira no clube de São Januário. Nesta passagem o goleiro conquistou, entre outros títulos, um dos principais da história do clube: a Taça Libertadores da América em 1998. Além disso, foi uma das principais figuras do Gigante na conquista do Brasileirão em 1997 quando garantiu o título fechando o gol nos dois 0 a 0 contra o Palmeiras que definiram o tricampeonato brasileiro para o Vasco.


Em 1997, Carlos Germano teve um impasse na sua renovação de contrato com o Vasco e ficou por alguns dias disponível no mercado. O então presidente do Urubu depositou um valor adiantado para que o arqueiro vestisse a camisa rubro-negra. Poucos dias depois do depósito, Carlos Germano negou o Urubu e assinou com o Vasco por mais três anos.

2001 - Em 2001, sem ter seu contrato renovado com o Vasco e saindo pela porta dos fundos ao colocar o Cruzmaltino na justiça, Carlos Germano acertou com o Santos Futebol Clube por onde atuou apenas um ano.


2002 - Em 2002, uma passagem rápida pelo Internacional

2003 - O goleiro aceitou uma proposta e foi jogar no norte. Carlos Germano atuou pelo Paysandu na temporada de 2003.

2004 - No ano de 2004, Carlos Germano disputou o Campeonato Carioca pelo simpático América. Logo depois, voltou para o Vasco de onde sairia seis meses depois.


2005 - 2006 - Em 2005 Carlos Germano se aventurou. Depois de acertar com o Madureira, o jogador foi atuar pela primeira e única vez fora do país. Foi para o Penafiel, de Portugal, onde assinou um contrato de dois anos. Apenas o primeiro foi cumprido e a rescisão feita amigavelmente.

2008 - O arqueiro cruzmaltino voltou a São Januário como treinador de goleiros, cargo já ocupado meses antes no Joinville-SC e onde permanece até hoje preparando os goleiros do Vasco.


PRINCIPAIS JOGOS PELO VASCO

Jogo de estreia

Vasco Da Gama 2 x 1 Bangu - 24/11/1990
Local: Estádio Caio Martins

Gols : Sorato (VAS), William (VAS) e Mendonça (BAN)

Vasco
Carlos Germano, Dedé (França), Tosin, Jorge Luís, Cássio, Zé Do Carmo, Luciano, William, Boiadeiro, Sérgio Araújo e Sorato Técnico : Zagallo

Bangu
Wagner, Murilo, Carlito, Marcão, Wágner Pepeta, Denílson, Arthurzinho, Mendonça, Gílson, Serginho (Jackson) e Maciel (Marcelo Henrique) Técnico : Rogério Melo

Jogo de despedida

Vasco Da Gama 4 x 1 Raja Casablanca-MAR - 29/12/1999
Local: Maracanã

Gols : Gilberto (VAS), Romário (VAS), Aboub (RAJA), Odvan (VAS) e Romário (VAS)

Vasco
Carlos Germano, Jorginho, Júnior Baiano, Mauro Galvão (Odvan), Gilberto, Amaral, Felipe, Juninho (Paulo Miranda), Ramón (Alex Oliveira), Donizete (Viola) e Romário Técnico: Antônio Lopes

Raja Casablanca
Chadili, El Karkouri, El Haimeur, Misbah (Nater), Safri, Jrindou, Moustaoudia, Aboub, Khoubbache (Achami), Mejjary, Ereyahi (El Moubarki) Técnico: Luís Fullones.

CURIOSIDADES

Urubu? Nem pensar!

Em 1997, Carlos Germano esnobou o Urubu dizendo que não aceitaria a proposta do rubro-negro, voltando atrás na decisão de renovação com o Vasco e assinando por mais três anos. Na ocasião, Germano decretou: 'Vestir rubro-negro? Nem pensar'


Números

Confira número de Carlos Germano no gol do Vasco

1990 - 6 jogos e 5 gols sofridos
1991 - 34 jogos e 26 gols sofridos
1992 - 43 jogos e 54 gols sofridos
1993 - 47 jogos e 57 gols sofridos
1994 - 58 jogos e 56 gols sofridos
1995 - 62 jogos e 64 gols sofridos
1996 - 56 jogos e 69 gols sofridos
1997 - 38 jogos e 34 gols sofridos
1998 - 43 jogos e 37 gols sofridos
1999 - 62 jogos e 74 gols sofridos

Total - 449 jogos e 476 gols sofridos


Bandeirão

Carlos Germano foi homenageado pela torcida cruzmaltina com um bandeirão estampando sua foto com a frase: 'O Vasco merece muito mais do que podemos oferecer'


Seleção Brasileira

Carlos Germano serviu a Seleção Brasileira apenas enquanto esteve no Vasco. Foi campeão da Copa América em 1997 e reserva de Taffarel na Copa do Mundo de 1998, onde foi vice-campeão mundial. Neste mesmo ano (1998), conquistou a América pelo Vasco.


FICHA TÉCNICA

Nome: Carlos Germano Schwambach
Nascimento: 14/08/1970
Local: Domingos Martins-ES
Posição: Goleiro
Altura: 1,92m
Peso: 83kg

Clubes

1990-1999: Vasco
2000-2001: Santos
2001-2002: Portuguesa-SP
2002-2003: Botafogo
2003: Paysandu
2004: América-RJ

Títulos

1988 - Campeonato Sul-Americano Sub-20 - Seleção Brasileira
1992-93-94 - Tricampeonato Carioca - Vasco
1992 - Torneio Pré-Olímpico - Seleção Brasileira
1997 - Campeonato Brasileiro - Vasco
1997 - Copa América - Seleção Brasileira
1998 - Copa Libertadores da América - Vasco
1999 - Torneio Rio-São Paulo - Vasco

Título pessoal

1994 - Prêmio Charles Miller - Melhor goleiro
1997 - Bola de Prata Brasileira - Revista Placar

Esta é a homenagem do Sou mais Vasco da Gama! ao grande arqueiro cruzmaltino Carlos Germano. Sem dúvida um dos maiores ídolos da história do centenário clube. Em nome da nação vascaína, muito obrigado Carlos Germano por defender e honrar a cruz-de-malta que estampamos em nosso peito.

O torcedor tem que apoiar sempre. Até mesmo numa situação em que o Vasco não esteja bem. Acho que o apoio é fundamental para o clube. Através do apoio do torcedor que o time consegue dar a volta por cima, reverter um quadro praticamente impossível. O torcedor sabe que é a alma do clube. E o clube na vai morrer nunca, o torcedor passa, mas tem o filho que vai acompanhar o pai, neto que acompanha o avô. O Vasco é forte por causa disso.

Onde quer que eu vá as pessoas me conhecem como o Carlos Germano do Vasco. Afinal foram quinze anos nesse clube, mais de quinhentos jogos. Eu não me vejo em outro lugar que não aqui dentro.

Em São Januário, pude ver o crescimento da minha casa com muito orgulho. Assisti o time se tornar um dos mais fortes do mundo. Quando vou a São Januário, não tenho vontade de sair. Tenho a certeza que um dia voltarei a trabalhar lá, de onde só vou sair quando não agüentar mais. (Citação de 26/04/2007, quando ainda não trabalhava no Vasco)


Tenho certeza que o Vasco vai sacudir a poeira e voltar para a Série A.

O SENTIMENTO NÃO PODE PARAR!

Saudações Vascaínas!

Vasco deve fazer amistoso contra o Santa Cruz antes da Série B

O Vasco deve enfrentar o Santa Cruz no próximo dia 3 de maio em um amistoso preparatório para a Série B. Nada mais conveniente o amistoso sendo que o Santa Cruz, apesar de estar na Série D, tem cara e tradição de time de segunda divisão. O estádio e o estado também são propícios. O Arruda e Pernambuco mostram um pouquinho do que será a Série B para o Gigante em 2009.

Na história dos confrontos entre Santa Cruz e Vasco, quem se dá melhor, claro, é o Cruzmaltino. São 32 jogos entre os dois clubes, sendo 19 vitórias do Vasco, 7 empates e apenas 6 vitórias do time pernambucano. Ao todo, o Vasco já guardou 57 tentos na meta adversária enquanto apenas 28 foram sofridos pelo arqueiro cruzmaltino.

O último confronto entre as duas equipes foi no dia 15/10/2006, pelo Campeonato Brasileiro, em Recife. Na ocasião, o time do Vasco venceu por 4 a 0. Ainda em 2002, Santa Cruz e Vasco se enfrentaram pela Copa do Brasil em jogos de ida e volta e quem se deu melhor foi o Vasco: venceu por 2 a 1 em Recife e empatou por 3 a 3 em São Januário.

TROFÉU SMVG! 2009

Participe você também do Troféu SMVG! 2009. O blog gostaria muito de poder contar com a opinião, de vocês, internautas, para que o Sou mais Vasco da Gama! seja cada vez mais democrático e interessante.

Clique AQUI para conferir o e-mail. Envie as notas dos jogadores, seu nome e cidade. Sua opinião será exposta aqui no blog. É claro, respeitando os que preferirem o anonimato.

O SENTIMENTO NÃO PODE PARAR!

Saudações Vascaínas!

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Dorival Júnior fala sobre o começo do ano no Vasco

A CARAVELA TEM DONO

Dorival Júnior comanda a missão de resgatar o Vasco à primeira divisão. Apesar de sua serenidade, põe o dedo na ferida e cobra avanços no clube e no futebol do Rio


A direção do Vasco sofreu duras críticas de um ex-diretor e, dias depois, o clube foi eliminado das semifinais da Taça Guanabara. Como foi trabalhar a cabeça do elenco com essas "bombas"?

O futebol está convivendo com alguns problemas já há algum tempo. Queira ou não, fazemos parte de um contexto e o Vasco está dentro desse processo. Tivemos vários problemas, que acabaram se acumulando com outros fatos que vinham acontecendo. Somos profissionais e temos que procurar fazer o melhor possível, defender o clube de todas as formas. Tentamos mostrar aos jogadores que ali na frente tem alguma coisa boa que pode compensar todo o esforço deste momento.

Por que aceitou trabalhar no Vasco em um cenário tão turbulento?

Acredito nas pessoas e no que foi me proposto como plano de trabalho. Espero que coloquemos em prática o quanto antes o que foi planejado.

Você sente que ainda falta uma visão mais profissionais aos clubes do Rio?

Existe mesmo uma defasagem e tem que ser revista rapidamente. O futebol carioca tem tudo para ter equipes que sempre abasteçam as seleções brasileiras. Mas realmente essa distância é grande e, em outros estados, os clubes estão mais estruturados que no Rio de Janeiro.

Seu salário foi comentado publicamente durante esses dias. Isso incomodou muito?

Foi um declaração indelicada [de José Roberto Coelho, ex-vice de marketing do Vasco*]. Mas, para mim, não interfere em nada. Transfiro meu trabalho para o campo e tenho certeza de que os clubes que me contrataram ficaram satisfeitos com o que fiz.

Que sensação ficou sobre a perda de pontos no tapetão na Taça Guanabara?

Profissionalmente, foi ruim, em todos os aspectos. É mais um fato que, queira ou não, faz parte do dia-a-dia do futebol. Estamos tentando solucionar alguns problemas internos para ter dias melhores.

Você acha que o Vasco está estruturalmente pronto para uma grande temporada?

Temos que mudar muitas coisas e elas estão acontecendo. Em alguns aspectos, ainda demora a ter uma mudança completa e precisamos acelerar. Dentro de campo, as coisas têm acontecido e o trabalho dos jogadores tem até surpreendido. Espero que mantenhamos essa postura para que daqui a pouco esses fatos todos estejam resolvidos para a equipe ter uma tranquilidade maior.

Espera que o Vasco navegue sem sustos na Série B, como o Corinthians fez em 2008?

Tenho certeza que as coisas serão mais difíceis. Ano passado, o Corinthians chamou a atenção da maioria dos clubes e mostrou que todos terão de estar mais preparados, pois, queira ou não, o Corinthians, pela capacidade que teve e qualidade, se preparou e conseguiu a condição de conquistar o campeonato bem antes do momento mais difícil da competição.

Como você tem avaliado a postura do Carlos Alberto neste início de ano?

Muito profissional em todos os aspectos. Está interessado e tentando melhorar. Ele se entrega nos treinamentos e tem me surpreendido positivamente em todos os sentidos.

O Keirrison, seu jogador no Coritiba, não para de fazer gols. O que mais impressiona nele?

Ele é um jogador iluminado. Sem querer comparar, mas é dos jogadores que aparecem, brilham e têm a luz própria. Do tipo de Romário, Bebeto e Careca. É especial, tem um poder de concentração acima do normal, mesmo em treinamentos comuns. Tenho certeza que ele terá um caminho maravilhoso pela frente se mantiver a postura que teve comigo. É acima da média como definidor.

*O nome do ex-vice de marketing do Vasco é José Henrique Coelho e não José Roberto Coelho, como citado na reportagem.

_Créditos: Revista Placar

O SENTIMENTO NÃO PODE PARAR!

Saudações Vascaínas!

As opções de Dorival Júnior para o lugar de Nilton, que ficará fora por 1 mês

O volante Nilton sofreu uma lesão séria no ombro direito no final do jogo pela Copa do Brasil, contra o Central-PE, quando o Vasco venceu por 3 a 0. Numa jogada sem perigo de gol, pela lateral de campo, o jogador foi empurrado e caiu sobre o braço direito.

As mudanças no time para a Série B devem ser mínimas. Provavelmente Dorival Júnior usará o time que vinha jogando no Estadual para que tenha uma base mais sólida e para que entre na competição com força total. O único desfalque certo é o de Nilton, que, mesmo não tendo que passar por cirurgia, ficará 1 mês em recuperação.

Abaixo as opções de Dorival Júnior para assumir, provisoriamente, o posto de Nilton no time titular do Vasco.

#16 - Mateus

Mateus é o provável substituto de Nilton. O volante já teve a chance de atuar como segundo volante nas oportunidades em que o ex-corintiano esteve ausente. O camisa 16 do Vasco é um jogador criado na Colina e já teve boas atuações em 2009, marcando já um gol, contra o Volta Redonda, fora de casa, pelo Estadual.


#27 - Léo Lima

Léo Lima foi eleito, em 2008, o melhor segundo volante do Campeonato Paulista. Atuando nesta posição, o jogador conseguiu espaço no time vitorioso do Palmeiras na última temporada. Dorival Júnior pode confiar na experiência de Léo Lima para começar jogando na Série B.


#22 - Paulinho

O volante Paulinho estreou bem com a camisa do Vasco contra o Bangu e também tem chances, se provar nos treinamentos, de assumir o posto de Nilton. Paulinho se assemelha muito com o jeito de Mateus jogar, diferente de Léo Lima. Se Dorival optar por um jogador no estilo de Mateus e Paulinho, provavelmente o camisa 16 ganhará a posição.


#14 - Souza

Souza corre por fora em busca de uma vaguinha no time titular. O volante já foi utilizado por Dorival Júnior e não decepcionou. Sua vaga no time titular ainda está muito distante.


#25 - Bruno Gallo

Só por desencargo de consciência, cito Bruno Gallo. O jogador atuou apenas uma vez com a camisa do Vasco em 2009 e não deve sequer passar pelos pensamentos de Dorival Júnior em utilizar o atleta.


#18 - Pedro Vera

Também por desencargo de consciência, Pedro Vera. O paraguaio, que deve embarcar na barca que 'vaza' de São Januário ainda em abril, vê um futuro obscuro no Vasco da Gama e não acumula, sequer, 0,01% de chances de atuar. Porém, é volante.


Para você, quem deve entrar no lugar de Nilton no meio-campo do Vascão? Comente, opine.

TROFÉU SMVG! 2009

Participe você também do Troféu SMVG! 2009. O blog gostaria muito de poder contar com a opinião, de vocês, internautas, para que o Sou mais Vasco da Gama! seja cada vez mais democrático e interessante.

Clique AQUI para conferir o e-mail. Envie as notas dos jogadores, seu nome e cidade. Sua opinião será exposta aqui no blog. É claro, respeitando os que preferirem o anonimato.

O SENTIMENTO NÃO PODE PARAR!

Saudações Vascaínas!

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Caetano: Magno é apenas especulação e Aloísio está encaminhado

O atacante Aloísio Chulapa está próximo do acerto com o Vasco. O jogador, que tem contrato até o começo de maio com o Al Rayan, do Catar, estaria com tudo 'bem encaminhado', diz o dirigente Rodrigo Caetano.

Aloísio seria o principal reforço do Vasco até o momento para a disputa da Série B. Outros nomes foram especulados, um deles com mais força. O do meia Magno, do Brasil de Pelotas, cujo empresário é o que agenciou as principais negociações na montagem do elenco do Vasco, Carlos Leite. Além do meiocampista de Pelotas, Marcelo Ramos, do Santa Cruz e Robinho, do Volta Redonda, também tiveram seus nomes ventilados na Colina histórica.

Com os 13 dias de inatividade, espera-se que o Vasco feche seu elenco para a disputa da Série B neste período. Uma barca deverá zarpar de São Januário nos próximos dias deixando espaço para os novos contratados que devem pintar até o final da próxima semana, provavelmente.

NILTON

O volante Nilton, que sofreu uma lesão no ombro direito no final do jogo contra o Central-PE, pela Copa do Brasil, passou por exame e não terá de fazer cirurgia. O médico do Vasco, Dr. Alexandre Campello, analisou o jogador que deverá retornar aos treinamentos em um mês.

Com o desfalque, quem deve ganhar força é Mateus cedendo seu lugar no banco de reservas para o jovem Paulinho.

O SENTIMENTO NÃO PODE PARAR!

Saudações Vascaínas!

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Meia Magno, do Brasil de Pelotas, está a caminho de São Januário

O meio-de-campo Magno, camisa 10 do Brasil de Pelotas, time montado às pressas por motivo de acidente do elenco antes do início do Gauchão, e que foi rebaixado para a segundona de 2010, está a caminho de São Januário.

A negociação foi confirmada ontem mesmo por Dorival Júnior, que provavelmente indicou o atleta. Hoje ainda, um cartola do Brasil anunciou que o meia já rescindiu contrato e que a papelada segue para o Rio de Janeiro a fim de firmar um novo contrato com o Vasco. Magno tinha contrato com o Brasil até novembro e deve assinar com o Cruzmaltino até o final do ano.

O atleta despertava interesse também na dupla grenal. Com a proximidade dos dois grandes do Rio Grande do Sul à Pelotas, os destaques de lá geralmente ficam por lá. Porém, Dorival Júnior com seu olhar magnífico ao pinçar jogadores fisgou o meia Magno que vem com pinta de bom jogador para o Vasco.

Dorival Júnior falou sobre o atleta, que vem para suprir a carência de bons reservas para o setor do meio-avançado.

- É um jogador que fez um excelente Campeonato Gaúcho, que vinha despontando. Ele teve uma passagem pelo Cruzeiro. Espero que ele possa fazer na equipe do Vasco tudo aquilo que ele fez no último trimestre. Tanto Grêmio e Internacional queriam contratar esse atleta, mas o Vasco conseguiu trazê-lo - disse o treinador.

O cartola do Brasil de Pelotas confirmou a negociação via empresário Carlos Leite, que já trouxe vários jogadores para a Colina bem como o também meia Jéferson.

- Somos gratos pela iniciativa do Carlos Leite. Ele nos ajudou num momento difícil. O empresário ligou nos últimos dias e nos pediu para que liberássemos o Magno, assim como havia sido combinado. Os documentos para a rescisão já foram todos assinados e estão a caminho do Rio de Janeiro - afirmou o dirigente gaúcho.

ALOÍSIO


A situação do atacante Aloísio Chulapa já está bem mais avançada. São palavras do dirigente cruzmaltino Rodrigo Caetano que segue negociando com o atleta que deve chegar, no mais tardar, dia 10 de maio.

LÚCIO FLÁVIO

O meia Lúcio Flávio também é opção na Colina. Com o mau momento no Santos, onde foi contratado com status de camisa 10 do time, o atleta pensa em voltar a jogar no Rio de Janeiro e o Vasco seria uma das melhores opções para o meia. Porém, não passa de especulação.

O SENTIMENTO NÃO PODE PARAR!

Saudações Vascaínas!

VASCO VENCE O CENTRAL-PE, SE CLASSIFICA E QUEBRA TABU: 3 A 0

Na noite desta quarta-feira, o Vasco bateu a equipe do Central-PE no seu péssimo campo pelo primeiro jogo da decisão da vaga nas oitavas-de-final. E venceu. Os gols foram de Pimpão (2) e Alan Kardec.


O JOGO


O jogo começou com o Vasco indo pra cima, buscando o resultado depois da sonora goleada alida à desclassificação no Estadual. O time de Dorival Júnior procurou jogar pela esquerda, nas costas do lateral-dereito Russo, que, no primeiro tempo, ainda voltava para tentar marcar. O jogo parecia morno quando, numa falha do lateral ex-Vasco, Ramon rouba a bola e lança Pimpão que carrega, corta para o meio e finaliza muito bem no canto do goleiro do Central-PE.

No segundo tempo o jogo parecia que teria um novo gás. O time pernambucano precisava ir para cima para evitar o 2 a 0 e a desclassificação antecipada. O time de São Januário queria liquidar o Central-PE logo no primeiro jogo a fim de se preparar com mais tempo para a Série B e para as oitavas-de-final. E foi o que aconteceu. O Vasco continuou joganod, não deixou de atacar. E o fruto desse interesse foi o segundo gol, marcado também por Pimpão após triangulação entre Carlos Alberto, Élton e o camisa 11.

A classificação já estava quase garantida quando Dorival lançou a jovem promessa, Alan Kardec, no jogo. O menino mostrou vontade, correu e buscou o jogo. Foi premiado com um gol característico de suas habilidades mais geniosas. Um gol de cabeça. Vasco 3 a 0 e a vaga para a próxima fase viajou na mala do grupo para o Rio de Janeiro.

Com a eliminação do jogo de volta, o time terá cerca de 15 dias para aprimorar a condição física e recuperar as energias para a Sèrie B que está por vir.

O TABU

O tabu consiste na inexistência de um caso em Copa do Brasil onde o Vasco tenha eliminado dois concorrentes em apenas dois jogos. Ou seja, eliminando logo na primeira partida dois adversários vencendo por dois ou mais gols de diferença. A competição existe desde 1989 e a regra dos gols fora de casa eliminarem os donos está em vigor apenas desde 1995.

AVALIAÇÕES

#50 - Tiago [7,5] - Fez boas defesas e não comprometeu.

#2 - Paulo Sérgio [7,0] - Atuou bem marcando e saindo para o jogo.

#44 - Leonardo [7,0] - Não comprometeu e marcou bem quando saiu da área. Não fez muitas faltas bobas e até roubou bolas ligando contra-ataques.

#13 - Titi [7,0] - Bobeou numa falha de comunicação com Tiago. Fora isso, tudo 100%.

#33 - Ramon [7,5] - Mais uma ótima partida do nosso lateral-esquerdo. Debaixo de elogios de Lédio Carmona no Sportv, o camisa 33 atuou de forma limpa, dando inclusive o passe para o primeiro e primodrial gol de Pimpão.

#5 - Amaral [7,0] - Marcou como terceiro zagueiro cobrindo os laterais que subiam. Fez bem a função.

#6 - Nilton [7,5] - Marcou e saiu jogando. Acertou passes, driblou e desarmou. Sentiu o ombro no final do jogo e preocupa.

#20 - Enrico* [6,0] - Não apareceu tanto quanto precisava. Começou atuando no lado esquerdo depois dedicou-se apenas à marcação.

#19 - Carlos Alberto [7,5] - Boa partida do capitão. Buscou o jogo, sofreu faltas perigosas e mostrou espírito de luta. Merecia um gol.

#11 - Pimpão** [8,0] - Correu, buscou o jogo e fez os gols da classificação antecipada. Quer mais do que isso?

#9 - Élton [7,0] - Participou bem no jogo principalmente no tempo que esteve no segundo tempo.

Reservas

#31 - Alan Kardec [7,5] - Bem esforçado o garoto que fez o terceiro gol merecidamente.

#27 - Léo Lima [6,5] - Prendeu muito a bola quando tinha que soltar. Não parece estar no espírito do grupo, mas, como eu disse e repito, vai nos ajudar.

#16 - Mateus [7,0] - Entrou bem o provável substituto de Nilton caso o camisa 6 tenha que ser operado.

**Destaque
*Decepção


PRÓXIMO JOGO

Vasco x Confiança-SE/Icasa-CE

Vasco x Confiança-SE/Icasa-CE - Copa do Brasil
Data: 29/04/2009
Local: -
Hora: -

Problemas

#6 - Nilton - Saiu lesionado, pode passar por cirurgia.

TROFÉU SMVG! 2009

Participe você também do Troféu SMVG! 2009. O blog gostaria muito de poder contar com a opinião, de vocês, internautas, para que o Sou mais Vasco da Gama! seja cada vez mais democrático e interessante.

Clique AQUI para conferir o e-mail. Envie as notas dos jogadores, seu nome e cidade. Sua opinião será exposta aqui no blog. É claro, respeitando os que preferirem o anonimato.

O SENTIMENTO NÃO PODE PARAR!

Saudações Vascaínas!

segunda-feira, 13 de abril de 2009

Blog inativo: 13,14 e 15 de abril

O blog Sou mais Vasco da Gama! estará inativo durante tais dias, voltando à atividade normal na quinta-feira, dia após o jogo do Vasco pela Copa do Brasil.

É importante deixar claro que o motivo do afastamento não é por desilusão após a desclassificação ou algo semelhante. O blog tem o compromisso de levar o nome do Vasco em qualquer que seja a situação. O blogueiro estará em curso até a próxima quarta-feira retornando na quinta, se Deus quiser, anunciando a classificação antecipada do Vasco na Copa do Brasil.

Casaca!

Leonardo Peixer

VASCO PERDE PARA O BOTAFOGO E DÁ ADEUS AO ESTADUAL: 4 A 0

Na noite deste sábado o Vasco foi goleado pelo Botafogo e deu adeus ao Estaudal de 2009. O placar resume mais ou menos bem o que foi o jogo. Um Vasco que não soube aproveitar as oportunidades versus um Botafogo motivado ainda mais pelo 4 a 1 de outrora.



O JOGO


O Vasco não começou mal, até que foi bem, como o Botafogo, que entrou mordido. Aí, nessas ocasiões, conta muito como está o dia de cada um. E era o dia de Maicosuel, não de Carlos Alberto. O camisa 10 do Fogo abriu grande chance de o time de General Severiano sair com a vitória. Com uma jogada espetacular, driblou dois e chutou sem chance. Aí, todos nós sabíamos, o Botafogo foi para a retaguarda esperar o Vasco, que tentou atacar, mas não soube aproveitar.

Ainda no primeiro tempo, numa falha da zaga, 2 a 0 Botafogo e a esperança ainda era visível.

No segundo, com uma proposta muito diferente, o Vasco teve chances com Jéferson e Nilton de fazer o primeiro e colocar fogo no jogo. Não aproveitou e deu no que deu. Depois da expulsão de Leonardo o Bota lavou a alma e garantiu seu passaporte para a final da Taça Rio.

AVALIAÇÕES

#50 - Tiago [6,0] - Não falhou em nenhum dos gols.

#2 - Paulo Sérgio [5,0] - Não era seu dia. Perdeu várias bolas ainda no campo de defesa.

#44 - Leonardo* [5,0] - Sua expulsão ajudou e muito o Botafogo. Porém, enquanto jogou, não comprometeu.

#13 - Titi [6,0] - Não comprometeu.

#33 - Ramon [5,5] - Buscou o jogo, sem sucesso. Não se omitiu.

#5 - Amaral [5,5] - Quebrou um galho na zaga quando Leonardo saiu. Não comprometeu.

#6 - Nilton [6,0] - Errou poucos passes mas ajudou na saída de bola enquanto o Vasco jogou.

#10 - Jéferson [5,0] - Não apareceu no jogo, escondido.

#19 - Carlos Alberto [5,5] - Procurou o jogo em sua volta ao Vasco, mas não encaixou seu jogo. Foi muito bem marcado.

#11 - Pimpão** [6,5] - Correu até o último instante. Honrou o manto e por isso merece o mínimo destaque. Saiu de campo chorando.

#9 - Élton [5,0] - Não apareceu. Quando teve chance errou o último passe.

Reservas

#16 - Mateus [5,5] - Entrou no segundo tempo com o jogo já perdido. Correu muito.

#7 - Alex Teixeira [6,0] - Lançado por Dorival depois dos 4 a 0, mostrou garra.

#31 - Alan Kardec [6,0] - Honrou a camisa do Vasco com muita vontade. Técnica naquela hora não era o que esperávamos.

**Destaque
*Decepção


PRÓXIMO JOGO


Central-PE x Vasco

Data: 15/04/09
Hora: 21h50
Local: Caruaru

Problemas

--

Dorival teve tempo para pensar no que dizer quando saísse de campo em sua entrevista coletiva. Durante 35 minutos do segundo tempo ele já sabia que tinha perdido, e quando falou, não decepcionou: 'A culpa é toda minha!'. E fez certo. Colocar a desclassificação nos ombros dos guerreiros vascaínos não era a coisa certa a a se fazer.

TROFÉU SMVG! 2009

Clique AQUI para ir até a página do Troféu SMVG!. Envie suas notas para o e-mail do blog. Elas serão divulgadas aqui. Não esqueça do nome e cidade/estado.

E-mail: soumaisvascodagama@gmail.com

Participe!

O SENTIMENTO NÃO PODE PARAR!

Saudações Vascaínas!

sábado, 11 de abril de 2009

Leonardo ganha a vaga de Fernando, lesionado

O Vasco já está escalado para a semifinal de logo mais, contra o Botafogo, pela Taça Rio. O único desfalque de Dorival Júnior é o zagueiro Fernando, que sentiu a coxa durante os treinamentos da semana e não pôde ser recuperado a tempo para o clássico.

Quem entra no lugar dele é Leonardo, zagueiro recém chegado do Shakhtar Donetsk-UCR. O zagueiro atuará pela terceira vez com a camisa número 44 e tem a chance de mostrar serviço.

Com isso, o Vasco vai a campo em busca da vaga na final com: Tiago, Paulo Sérgio, Leonardo, Titi e Ramon; Amaral, Nilton, Jéferson e Carlos Alberto; Pimpão e Élton.

TROFÉU SMVG! 2009

Participe você também do Troféu SMVG! 2009 enviando suas notas para os jogadores do Vasco no e-mail do blog. Sua opinião é bem-vinda e será exposta logo após o jogo e o fechamento das notas pelo blogueiro.

O SENTIMENTO NÃO PODE PARAR!

Saudações Vascaínas!

sexta-feira, 10 de abril de 2009

Estreia no blog o Troféu SMVG! 2009

A partir de hoje, o blog, fazendo a média aritimética das notas concedidas pelo mesmo, terá em seu layout o Troféu SMVG! (Sou mais Vasco da Gama!). As notas serão sempre imparciais e terão a ajuda dos principais jornais para que sejam o mais profissionais possíveis.

A classificação será editada jogo a jogo e a visualização do troféu, bem como os destaques de cada partida serão visualisados no menu principal do blog (à direita), com links que levam o internauta à página do troféu e às médias de todos os outros jogadores. Apenas os cinco primeiros colocados estarão na página principal.

Para começar, apenas os jogadores com mais de 6 notas terão seu cadastro no troféu efetuado. Já são 11 partidas em 2009 em que o Sou mais Vasco da Gama! exibiu sua opinião elegendo destaques e decepções. A partir da 5ª rodada do Campeonato Brasileiro, onde teremos já entre 20 e 22 notas, os jogadores terão seu cadastro aceito a partir apenas da décima nota.

Será aceito também a opinião dos internautas que quiserem participar. O e-mail do blog está disponível também no menu e o internauta que quiser expor sua opinião basta enviar um correio eletrônico para tal endereço, que o blogueiro fará um post a cada rodada (se tivermos demanda, é claro). Envie o e-mail com seu nome, cidade e estado e as notas de cada jogador logo abaixo. As opiniões serão aceitas desde que o internauta seja consciente.

Está aberta a temporada do Troféu SMVG! 2009.

O SENTIMENTO NÃO PODE PARAR!

Saudações Vascaínas!

quinta-feira, 9 de abril de 2009

Os motivos que fazem a Nike ser cogitada, e com força, no Vasco

A relação Vasco-Champs já está se tornando insustentável. A promessa de pagamento da terceira parcela da parceria para esta segunda-feira não foi cumprida e o contrato pode se encerrar junto com o Estadual 2009.

Alguns outros fatos vêm mostrando que o rompimento de contrato está próximo e que o material realmente não é de bom grado. A Ponte Preta já tomou partido e rescindiu contrato. Hoje, os jogadores do Vasco reclamaram do material, principalmente do meião que 'teima em deslizar canela a baixo'.

Com o provável rompimento do contrato por parte do Vasco, segundo jornais, o Cruzmaltino já vislumbra novos parceiros para fornecimento de material esportivo. E o foco da diretoria é a Nike. Segundo o O Dia, a diretoria aguarda a penas a formalização do rompimento do contrato do Urubu com a empresa norte-americana para que uma tentativa de contrato fosse proposta por parte do Vasco. Para mim, a possível parceria está muito distante, porém, vários motivos podem aproximar a Nike do Vasco.

Um deles é que, como a Adidas, a Nike costuma fornecer material esportivo para um clube de São Paulo e um do Rio de Janeiro. A Adidas fornece atualmente para Fluminense e Palmeiras, enquanto a Nike mantém vínculo com Corinthians e vai se desligando do Urubu. Se for para manter a tradição teria que contar com um novo clube do Rio de Janeiro que não fosse o Fluminense nem o Urubu, lógico. Sobrariam aí duas opções para a Nike: Vasco ou Botafogo. Aí, o que pode pesar na hora da decisão?

Pode pesar, por incrível que pareça, a situação do Vasco em 2009: a Série B. A Nike já conhece os caminhos tortuosos da Segunda Divisão (Corinthians em 2008) e sabe que lucrar com esse momento é simples. Basta disponibilizar camisas e manter um marketing ativo no clube, como fez com o clube paulista em 2008. Além disso tudo, há rumores de que o Fogão já tenha um pré-contrato assinado com a Fila, antiga fornecedora do clube. E para completar a vantagem do Vasco no negócio, não é novidade que a marca Vasco da Gama supera com folga a marca do Botafogo.

Creio eu que, se a Nike quiser manter a linha que vem tendo nos últimos anos, tentará o Vasco. E pelo que se pode perceber, a diretoria espera de braços abertos. Champs para Nike seria um avanço enorme e significativo. Porém, querido amigo vascaíno, não se iluda, afinal, quem aceitou a Champs pode aceitar coisa pior ou igual.

O SENTIMENTO NÃO PODE PARAR!

Saudações Vascaínas!

quarta-feira, 8 de abril de 2009

ESPECIAL: A RESPOSTA HISTÓRICA

"Aos 21 dias do mes de agosto de 1898, as 2:30 horas da tarde, reunidos na sala do predio da Rua da Saude numero 293 os senhores constantes do livro de presencas, assumiu a presidencia o Sr. Gaspar de Castro e depois de convidar para ocuparem as cadeiras de secretarios os senhores Virgilio Carvalho do Amaral como 1o. e Henrique Ferreira como 2o., declarou que a presente reuniao tinha o fito de fundar-se nesta Capital da Republica dos Estados Unidos do Brasil, uma associacao com o titulo de Club de Regatas Vasco da Gama (...)"

O COMEÇO

Em meados de 11 de novembro de 1915, o Vasco, que tinha como prática esportiva até então apenas o Remo, iniciava sua trajetória no futebol. Os clubes, também de origem portuguesa, Esportivo Portugues, Lusitano Football Club e o Lusitania Sport Club, unindo-se ao Vasco, levaram ao clube da cruz de malta o esporte mais falado naquela década, com influências de clubes portugueses. No dia 26 de novembro de 1915 criava-se, sem nenhuma resistência dos sócios mais tradicionais, o departamento de futebol do Vasco.

RACISMO? AQUI NÃO!

O nível do futebol do Vasco foi crescendo ao longo dos anos graças ao "atrevimento" de aceitar jogadores negros e mulatos no time. Apesar de ser basicamente um clube de colônia, o Vasco seguia a boa tradição portuguesa da mistura, ao contrário dos tradicionais grandes clubes de futebol do Rio. Estes não só recriminavam indivíduos de cor em seus quadros sociais como alguns chegavam ao extremo de admitir exclusivamente ingleses e seus descendentes dentro do departamento de futebol. São os casos de Paysandu, campeão de 1912 e do Rio Cricket (nome com influências inglesas).

Ao contrário dos grandes clubes de futebol do Rio, desde a sua fundação o Vasco esteve aberto a brasileiros de todas as origens e classes sociais, além dos portugueses, tendo tido, inclusive, um presidente mulato ainda na época do remo, Candido José de Araújo, em 1905 e 1906.

O Lusitania havia sido um clube fechado, só para portugueses, mas, ao ser absorvido pelo Vasco, foi a filosofia do cruzmaltino que prevaleceu. Para reforçar a sua equipe de futebol, o Vasco ia recrutando sem discriminação aqueles que se sobressaíam nas peladas de subúrbio e nos clubes pequenos. Assim, enquanto os jogadores dos aristocráticos (burgueses) clubes grandes eram praticamente todos brancos ricos, a maioria com nível alto de intelecto, os jogadores do Vasco eram de profissão humilde, sendo que alguns mal sabiam escrever (assinar) o próprio nome. Anos mais tarde, o clube chegaria até a contratar um professor de gramática, satisfazendo uma exigência da Liga - leia-se, dos clubes rivais, sempre a procura de pretextos para hostilizar o Vasco.

A ASCENÇÃO

Após lutas contínuas contra o preconceito e reformulações da Liga, o Vasco foi classificado, em 1921, para disputar a Série B do 'Campeonato Carioca'. O título da categoria de primeiros quadros da Série B de 1922 deu ao Vasco o direito de disputar a promoção à Série A numa partida, chamada na época de eliminatória, contra o último colocado da Série A, que tinha sido o São Cristovão. A partida terminou empatada e, por isso, a Liga decidiu aumentar o número de participantes da Série A em 1923 para dez. Assim, o Vasco subira para a elite do futebol carioca.

Vasco na Série B em 1921
Os Camisas Negras em 1921, de pé: Palhares, Carlos Cruz, Nélson, Ernani Van Erven, Adão Brandão e Alfredo Godói. Agachados: Leão, Dutra, Torterolli, Negrito e Fernandes.

A princípio, os clubes de elite nem ligaram para a entrada do Vasco na Série A em 1923. Afinal, o que poderia fazer um clube de segunda divisão, cuja maioria dos jogadores residiam em alojamentos, ao lado de um campinho de treinamento tão ruim que nem para jogos oficiais servia? Os portugueses do Vasco que botassem no seu time quantos crioulos quisessem, mas tudo continuaria como sempre foi, com os brancos vencendo os campeonatos e os pretos nos seus lugares, nos clubes pequenos.

Só que o Vasco, graças a um forte regime de treinamentos ministrado pelo técnico uruguaio Ramon Platero, seguiu durante todo o primeir turno sem perder nenhum ponto sequer. E quanto mais vencia, mais os estádios se enchiam de gente que nunca tinha visto um jogo do tal "football" antes. O desprezo se transformava em inveja e as torcidas adversárias se uniam, humilhadas por verem seus elitistas brancos superados por um time de negros rumo ao título invicto e frustradas por perderem dinheiro em apostas semanais com portugueses. O Vasco era um fenômeno.

Vasco campeão estadual em 1923.
Na foto, os guerreiros: de pé: Nicolino, Torterolli, Leitão, Ceci, Bolão, Negrito, Arlindo, Arthur, Mingote e Paschoal. No chão: Nélson.


A RESPOSTA HISTÓRICA

Com os grandes clubes da época (Flamengo, Botafogo, Fluminense, Bangu e América) desesperados e tentando evitar o bicampeonato do clube dos negros, tiveram eles a ideia de criar algumas condições para que os clubes pudessem disputar a Liga Metropolitana. Primeiro, alegaram que os clubes deveriam avaliar a situação social dos seus atletas. Com tal condição negada pela Liga Metropolitana, os grandes clubes partiram para um plano B afim de tirar as condições de conquista de título do Vasco da Gama. Criaram então a AMEA. Contudo, para que o time da cruz de malta ingressasse na AMEA, os clubes fundadores exigiram que o Gigante expulsasse de seu quadro social e de seu time os negros e mulatos que por hora, fizeram sucesso no campeonato de 1923. Medo? Pode ser. Foi aí, que num ato heróico, épico e que traz, até hoje, orgulho para os que amam o Vasco da Gama, que o Dr. José Augusto Prestes, então presidente do Vasco, redigiu uma carta endereçada à AMEA, conhecida mais tarde como "A resposta histórica". Confira:

Rio de Janeiro, 7 de Abril de 1924.
Ofício nr. 261

Exmo. Sr. Dr. Arnaldo Guinle
M.D. Presidente da Associação Metropolitana de Esportes Atléticos

As resoluções divulgadas hoje pela imprensa, tomadas em reunião de ontem pelos altos poderes da Associação a que V.Exa tão dignamente preside, colocam o Club de Regatas Vasco da Gama numa tal situação de inferioridade, que absolutamente não pode ser justificada nem pela deficiência do nosso campo, nem pela simplicidade da nossa sede, nem pela condição modesta de grande número dos nossos associados.
Os privilégios concedidos aos cinco clubes fundadores da AMEA e a forma por que será exercido o direito de discussão e voto, e feitas as futuras classificações, obrigam-nos a lavrar o nosso protesto contra as citadas resoluções.
Quanto à condição de eliminarmos doze (12) dos nossos jogadores das nossas equipes, resolve por unanimidade a diretoria do Club de Regatas Vasco da Gama não a dever aceitar, por não se conformar com o processo por que foi feita a investigação das posições sociais desses nossos consócios, investigações levadas a um tribunal onde não tiveram nem representação nem defesa.
Estamos certos que V.Exa. será o primeiro a reconhecer que seria um ato pouco digno da nossa parte sacrificar ao desejo de filiar-se à AMEA alguns dos que lutaram para que tivéssemos entre outras vitórias a do campeonato de futebol da cidade do Rio de Janeiro de 1923.
São esses doze jogadores jovens, quase todos brasileiros, no começo de sua carreira e o ato público que os pode macular nunca será praticado com a solidariedade dos que dirigem a casa que os acolheu, nem sob o pavilhão que eles, com tanta galhardia, cobriram de glórias.
Nestes termos, sentimos ter que comunicar a V.Exa. que desistimos de fazer parte da AMEA.
Queira V.Exa. aceitar os protestos de consideração e estima de quem tem a honra de se subscrever, de V.Exa. At. Vnr. Obrigado.

Dr. José Augusto Prestes
Presidente

Com motivos convincentes para desistir do futebol, o Vasco quis manter sua honra. Participou com os pequenos da Liga Metropolitana de 1924 e sagrou-se campeão.

COM DIGNIDADE, SÃO JANUÁRIO

Com a dignidade que é peculiar dos portugueses da colônia, o Vasco, desprezado pelos grandes clubes, tratou de unir seus sócios e simpatizantes e foi em busca de tornar o Gigante um clube de futebol legítimo, que é aquele que tem um estádio. Alguns dos nossos queridos amigos ainda não conseguiram tal façanha até hoje, 7 de abril de 2009.

Decididos a fazer do Vasco um clube grande, os vascaínos partiram então para a construção de um estádio, passando a angariar fundos entre 1924 e 1926. Listas corriam pela cidade, onde toda gente assinava, dando a contribuição que podia. O êxito foi tanto que, ao final de 1926, oito mil novos sócios tinham ingressado no clube. Em 1925, foi adquirido um terreno numa colina em São Cristovão, que havia sido ocupada no século XIX por uma chécara doada por D. Pedro I à Marquesa de Santos.

A construção do estádio coube a Cristiani & Nielsen. A pedra fundamental foi lançada no dia 6 de junho de 1926. Raul da Silva Campos era o presidente do Vasco. Menos de 11 meses depois, o clube entregava ao futebol brasileiro o estádio Vasco da Gama, mais tarde popularmente denominado de São Januário.

QUE HONRA SER! SAIBA SOU VASCAÍNO, MUITO PRAZER

Como diz a música da torcida cruzmaltina que exalta os guerreiros da década de 20 que, mesmo com situações adversas, provaram que a dignidade não está estampada na cor da pele nem na situação financeira dos indivíduos. O caráter, a vontade e a força de vencer estão naqueles que nela acreditam. E foi com esse pensamento que o Club de Regatas Vasco da Gama foi fundado e gerou, com muita honra, um dos maiores clubes de futebol do mundo. A música, linda por sinal, fala bem da conquista vascaína. Confira:

Eu vou torcer, aqui eu ergui meu templo para vencer
Eu já lutei por negros e operários
Te enfrentei, venci, fiz São Januário

Camisas Negras que guardo na memória
Glórias, lutas, vitórias essa é minha história
Que honra ser, saiba sou vascaíno, muito prazer

Jamais terás a cruz esse é meu batismo
Eu tive que lutar contra o teu racismo
Veja como é grande meu sentimento, e por amor ergui este monumento

É um orgulho poder vestir o manto cruzmaltino pelas ruas da minha cidade, do meu estado e do meu país. Levo com ela, com a cruz de malta no peito, a luta de operários e negros que decidiram se impor contra a aristocracia imperialista que dominava a capital nacional em meados de 20. Levo com ela os princípios de não desistir na adversidade, de persistir e dar a volta por cima, provando que, com vontade, dignidade e muita luta, pode se conquistar o mundo.

"Tua história traz orgulho a quem te ama, eu sou Vasco da Gama, pra sempre vou te amar"

Obrigado Dr. José Augusto Prestes. Obrigado guerreiros vascaínos que construíram nosso lar com o suor de seu trabalho. Obrigado a quem construiu esse clube tão amado e querido em todos os cantos do nosso país. Do fundo do coração, obrigado.

"Sem o Vasco, o mundo não teria conhecido Pelé", e complemento com: Barbosa, Ademir Menezes, Bellini, Orlando, Vavá, Roberto Dinamite, Bebeto, Romário, Edmundo entre outros que hão de se consagrar no futuro com a camisa do legítimo Gigante.


O SENTIMENTO NÃO PODE PARAR!

Saudações Vascaínas!

terça-feira, 7 de abril de 2009

A data do jogo pouco influencia o trabalho do Vasco

O jogo do Vasco será mesmo no sábado (11/04). Toda essa questão de datas poderia ter sido evitada caso a Federação seguisse o que diz no regulamento: o time que fez mais pontos, joga no domingo. Sem mais.

Porém, o apelo por Fla x Flu é maior do que para Vasco x Bota e, por isso, a Rede Globo pediu a mudança de datas.

Para o Vasco, a situação continua na mesma. Teremos uma semana inteira para trabalhar e nada muda jogar no sábado ou no domingo. Já para o Botafogo, que joga na quarta-feira em Campos, pela Copa do Brasil, a notícia não foi bem-vinda. Bom para o Vasco que enfrentará os jogadores da Estrela Solitária com a perna pesando.

Mas nada disso é importante se o Vasco entrar de salto alto. O que vale é manter a humildade que vem tendo, só isso.

Faltam 5 dias para a semifinal.

INVENCIBILIDADE

Após a vitória sobre o Bangu por 4 a 0 em São Januário, o Vasco chegou a 15ª partida sem derrota. Já são 10 vitórias seguidas.

Clique aqui para conferir a lista de invencibilidade atualizada.

O SENTIMENTO NÃO PODE PARAR!

Saudações Vascaínas!

segunda-feira, 6 de abril de 2009

VASCÃO GOLEIA BANGU E PEGA O BOTA NA SEMI: 4 A 0

O Vasco goleou o Bangu na tarde deste domingo, em São Januário, com gols de Pimpão (2), Kardec e Tiago. O Cruzmaltino agora enfrenta o Botafogo na seminfinal.

Não pude assistir o jogo, por isso prefiro não comentá-lo. Porém, a nota dos jogadores foi feita com uma média aritimética entre as notas dos jornais Lance! e Jornal dos Sports. Confira.

AVALIAÇÕES

#50 - Tiago [6,75] - Duas boas defesas, um gol de pênalti e sorte nas três bolas que bateram na trave.

#2 - Paulo Sérgio [5,75] - Começou a partida muito ofensivo e participativo, mas sumiu em campo depois.

#3 - Gian [7,0] - Bem nas antecipações e no jogo aéreo. Teve pouco trabalho durante a partida.

#44 - Leonardo [6,0] - Pouco apareceu, mas passou segurança à zaga.

#33 - Ramon [6,5] - Os bons avanços de sempre enquanto esteve em campo. Mas nada brilhante. Deu o passe para Kardec sofrer o pênalti.

#6 - Nilton [4,5] - Bons pases, mas exagerou no carrinho que custou um cartão amarelo.

#16 - Mateus [5,25] - Marcou bem no meio e deu qualidade à saída de bola.

#20 - Enrico* [4,75] - Discreto, praticamente não apareceu na partida.

#10 - Jéferson [6,25] - Estava apagado, mas apareceu. Belo lançamento para o quarto gol.

#11 - Pimpão [8,25]** - Ótima partida. Dois gols, uma assistência e muita luta o tempo todo.

#31 - Alan Kardec [8,0] - Deu o passe para o primeiro, sofreu o pênalti que originou o segundo e fez o terceiro. Precisa falar mais?

Reservas

#22 - Paulinho [5,5] - Entrou bem e sofreu uma falta que resultou na expulsão de André Oliveira.

#7 - Alex Teixeira [5,75] - Puxou alguns contrataques, mas tem errado sempre no último passe.

#27 - Léo Lima [6,25] - Bem melhor do que em suas últimas atuações, ajudou a arrumar a marcação no meio.

*Decepão
**Destaque

ARBITRAGEM

Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães
Auxiliares: Vinícius Barone Pampurre e Michael Correia

O trio de arbitragem teve pouco trabalho, já que a partida foi tranquila. Os cartões amarelos foram bem aplicados para coibir a violência e as decisões do juiz não influenciaram o resultado do jogo.

PRÓXIMO JOGO

Vasco x Botafogo - Semifinal da Taça Rio

Data: 11/04/09 *
Hora: 18h15*
Local: Maracanã

*Data e horário podem sofrer alterações

Problemas

Nenhum

Voltas

#4 - Fernando
#5 - Amaral
#13 - Titi
#19 - Carlos Alberto

PAULINHO COM A CAMISA NÚMERO 22

Como antecipado pelo Sou mais Vasco da Gama!, o volante Paulinho usará a camisa de número 22 nesta temporada pelo Vasco.

INVENCIBILIDADE

O Vasco chegou a 15ª partida sem derrota. Já são 10 vitórias seguidas.

Clique aqui para conferir a lista de invencibilidade atualizada.

O SENTIMENTO NÃO PODE PARAR!

Saudações Vascaínas!

domingo, 5 de abril de 2009

Champs ainda é uma icógnita

Para iniciar a reflexão sobre os pontos positivos e os negativos do contrato feito com a Champs, convido você, caro leitor (a), para que veja a opinião deste mesmo blog quando a parceria foi firmada. Clique aqui para ler a matéria de 21/11/2008.

Naquela oportunidade, o Vasco fechava um contrato de fornecimento de material esportivo um tanto quanto lucrativo e ao mesmo tempo arriscado. Como dito no post de 4 meses e meio atrás, a Reebok trouxe saudades. Saudades para aqueles que, mesmo com o time sendo rebaixado, desembolsavam dinheiro para adquirir produtos do tão amado clube. Saudades a Reebok deixa para os fãs de Romário que puderam ver a camisa dos 1.000 gols sendo vendida normalmente, para os fãs de Cocada que puderam comprar a camisa do ídolo e carrasco do Urubu etc. O que eu quero aqui não é enumerar os pontos positivos da antiga fornecedora, não quero fazer esse marketing todo para eles.

O que quero com este post é tentar abrir a cabeça de alguns queridos vascaínos que se deixam levar pela emoção. A racionalidade é imprescindível em certos momentos. E agora é preciso usá-la.

A Champs é uma empresa nova, sem grandes garantias de bons serviços. Já tinha problemas com clubes menores, que, consequentemente, vendem menos camisas, na hora da distribuição das mesmas. Um exemplo: o Avaí, que subiu para a Série A, não pôde satisfazer da maneira que queria seus torcedores em 2008. As camisas não chegavam às lojas e quando chegavam traziam consigo erros grotescos e várias falhas. Falo por experiência (quase) própria. Todos nós sabemos que o Vasco é um clube de ponta, e um clube de ponta merece material de ponta. Analise agora, caro amigo (a) vascaíno (a). A Champs nos oferece um material de ponta? Não na minha opinião.

O torcedor cruzmaltino que quer vestir o manto após um 2 a 0 espetacular sobre o maior rival na segunda-feira fica com o gostinho na boca. Ou ele tira da gaveta a camisa usada pelo time que rebaixou o clube ou então não usa. A nossa querida e simpática amiga Champs não dá e não dará conta de abastecer os postos de vendas que, em todo Brasil, aguardam a chegada das camisas para faturar em cima dos sedentos vascaínos empolgados com a sequência de vitórias do time. Os mais iludidos vascaínos argumentam: "Mas, pô, a Champs está pagando mais do que a Reebok!". Vascaíno, não se iluda. Como uma empresa que fatura, no máximo, R$ 2,5 milhões/ano vai pagar, só para um clube, o Vasco no caso, cerca de R$ 6 milhões por temporada? Não quero aqui acusar ninguém, mas é difícil de acreditar numa coisa dessas.

O Vasco já sofreu, em menos de 4 meses de parceria, com a falta de distribuição de materiais esportivos. Os três primeiros jogos seriam com a camisa estampando MRV, logo no quarto uma camisa limpa seria usada. Porém, no quarto jogo do ano, o Cruzmaltino entrou em campo estampando, mais uma vez, a MRV. Motivo? Diz a diretoria que foi para selar a parceria com chave de ouro. Pois bem, não é mais fácil dizer isso do que afirmar que a Champs não fabricou os modelos a tempo? É. Outra: a numeração fixa foi anunciada vários dias antes da estreia no Estadual. No dia 24 de janeiro, o Vasco entrou em campo sem a numeração fixa. Por quê, Champs? Na pré temporada a comissão técnica do Vasco usou chuteiras da Reebok. Por quê, Champs? Esses dias, num flagra durante o treinamento, Titi estava usando uma cueca da Reebok. Por quê, Champs? O time juniores até uns dias jogava com a camisa da MRV ainda. Por quê, Champs? Os esportes amadores ainda usam Reebok e MRV. Por quê, Champs? O elenco hoje usa calça jeans para viagens, diferente de 2008 quando recebiam uniforme de viagem completo. Por quê, Champs?

Bom, não posso ser radical ao extremo. Entendo que a transição é demorada, é lenta, alguma coisinha ou outra acontece e um furo da antiga fornecedora fica para trás. Só que, só com os citados acima, já podemos nos desanimar. A Champs, repito, não dá e não dará conta de abastecer e fornecer materiais para o Vasco e sua gigante torcida. Eurico Miranda, na última reunião do conselho, sugeriu o rompimento do contrato. E aí? Eu concordo.

Ah, temos um ponto positivo em meio a isso tudo. A Champs conseguiu fornecer um material classificado como 'excelente' pelos remadores do Vasco. A camisa com a eterna faixa diagonal foi resgatada e o Remo do Vasco agradece. Só que, darão conta de manter isso? É esperar para ver.

Hoje, mais um capítulo do já anunciado rompimento entre Vasco e Champs. Após depoimento de alguns empresários enfurecidos com a falta de responsabilidade da Champs, que cobra o produto não entregue, a notícia do JB Online ainda mostra uma fala de Dinamite onde o presidente diz que a Champs se comprometeu a cumprir o combinado:

- Eles nos prometeram que até o final do mês tudo estará regularizado. Fiquei sabendo de algumas coisas, até mesmo da entrada do Ministério Público. Temos um contrato em vigor e acreditamos que ele será cumprido. - relatou o presidente.

O vice-presidente de futebol do clube, José Hamilton Mandarino, também espera que a empresa cumpra o que prometeu.

– Determinamos prazos para a total regularização da situação. Se isso não for feito, vamos analisar o que pode ser feito. - avisa o cartola.

Afinal, Sr. Mandarino, o que pode ser feito? Nada mais pode ser feito se não o rompimento de contrato. Para agravar a situação, os pagamentos não estão em dia. Mas a presidente da empresa paulista promete que, até segunda-feira (06/04) o dinheiro estará na conta do Club de Regatas Vasco da Gama.

É bom olhar tudo por um outro lado, obter uma outra análise. A Reebok não é a dona dos superpoderes. A Champs não é a pior fornecedora do mundo. Mas, a diferença entre elas, todos nós sabemos, é enorme. Já se passaram 4 meses de parceria e a empresa do ABC Paulista ainda está devendo. O que o Vasco pode fazer para não parar no tempo? Apelar para outras confecções menores como a Estilo Carioca, que fez a camisa do "Sentimento não pode parar", sucesso de vendas, além do mais novo lançamento, a camisa do ídolo Giovani.

A Champs ganha visibilidade com o Vasco. O Vasco tem passado vergonha com a Champs. É interessante analisar o custo-benefício disso tudo, dessa parceria. O "novo Vasco", como é chamado pelo MUV, deveria estar mais atento a isso. Eu e a grande maioria dos vascaínos que param para pensar um pouco apelamos: acorda, Vasco!

TIME DEFINIDO

O time do Vasco para enfrentar o Bangu em São Januário está definido: Tiago, Paulo Sérgio, Gian, Leonardo e Ramon; Nilton, Mateus, Enrico e Jéferson; Pimpão e Alan Kardec.

Provável banco de reservas: Fernando Prass, Vilson, Edu Pina, Benítez, Léo Lima, Pedro Vera e Edgar.

O SENTIMENTO NÃO PODE PARAR!

Saudações Vascaínas!